Foto: João Carlos Frigério

Momentos de terror foram vividos na última quarta-feira  (03) pela família do soldado Geovane do 1° Grupamento do Corpo de Bombeiros do Paraná. O que era pra ser um dia de descanso na chácara da família por pouco não se tornou pesadelo.

O soldado estava reunido com a irmã em uma chácara na zona rural de Mandirituba. O bombeiro estava dentro da residência quando seu cunhado estava do lado externo assando uma carne e percebeu que seu sobrinho, o pequeno Geovane de 4 anos, estava brincando próximo à um poço de água de 13 metros de profundidade. O tio ainda alertou para ele brincar mais próximo dele, mas a curiosidade do menino fez com que ele empurrasse a tampa que protegia o poço e no momento em que ele conseguiu abrir acabou sofrendo uma queda de aproximadamente 13 metros. O tio percebeu que o menino havia desaparecido e que havia caído no poço. O bombeiro correu da residência até o poço o que dá aproximadamente 50 metros e não pensou duas vezes, se atirou dentro do poço para salvar a vida do filho. O problema é que no momento em que o bombeiro pulou, sofreu uma descarga elétrica de 220 volts da bomba elétrica  que puxa a água do poço, em seguida atingiu a água que estava a aproximadamente 4 metros o nível seu filho já havia afundado. O soldado então foi até o fundo e conseguiu puxar o filho até a superfície. Por um milagre o menino não se afogou. Em seguida os familiares conseguiram uma corda e lançaram para o pai e o filho.  Geovane relatou que o maior problema era a flutuação já que havia 4 metros de água debaixo deles. Após alguns minutos ele utilizando a corda fez uma cadeirinha e amarrou o filho que foi resgatado. Em seguida o bombeiro fez vários nós na corda e escalou até fora do poço. Ele saiu com apenas alguns ferimentos. Já o menino sofreu apenas um pequeno corte na cabeça que resultou em dois pontos.

O soldado afirmou que no primeiro momento o instinto de pai falou mais alto do que o treinamento do bombeiro, fazendo-o pular instintivamente dentro do poço. Após cair na água entrou o treinamento do bombeiro e o preparo para que ele mantivesse a calma até que o menino pudesse ser tirado de corda dali. Ele relatou que a calma foi tanta que somente após o ocorrido o menino foi entender o que aconteceu. O menino chegou a ser encaminhado à um hospital mas foi liberado logo em seguida. O soldado ainda relatou que a família mora ali ha mais de 30 anos nunca havia imaginado que pudesse acontecer nenhum tipo de acidente já que o poço vivia trancado com uma tampa de concreto, porém fina e não tão pesada. Essa tampa agora foi substituída por uma tampa Grossa e muito pesada o que dificulta o acesso ao motor para caso seja realizada alguma manutenção no local.

O pequeno Geovane de quatro anos disse que tem o sonho de ser bombeiro como o pai, para ajudar pessoas e salvar vidas.

Por João Carlos Frigério/ Massa News

Compartilhe: