Alvo da Operação Rádio Patrulha, do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), André Felipe Bandeira se entregou à polícia na manhã desta quarta-feira (12) em Curitiba. Irmão de Túlio Bandeira, ele é suspeito de intermediar propina em esquema de corrupção no governo de Beto Richa (PSDB).

Segundo as investigações, ele era um dos responsáveis por entregar parte do dinheiro a Tony Garcia, delator na operação. De acordo com a denúncia, Garcia, então, repassava o valor ao ex-governador.

A ação do Gaeco investiga o programa do governo estadual Patrulha do Campo, que realiza a manutenção das estradas rurais do Paraná. Além de Bandeira, o tucano e a esposa, Fernanda Richa, também foram presos na operação.

Prisão de Richa

No despacho, o juiz Fernando Fischer afirma que o ex-governador é apontado como ‘o chefe da organização criminosa e principal beneficiado com o esquema de recebimento de propinas’.”Na condição de Governador do Estado, a implementação e o funcionamento da máquina criminosa dependiam do seu aval e das suas ordens aos seus subordinados”.

“Os indícios de autoria estão consubstanciados no conjunto de elementos probatórios que instruem este pedido, em especial no áudio de gravação ambiental de mov. 1.25, em que o próprio investigado trata de assuntos relacionados ao atraso do pagamento da propina com o colaborador Tony Garcia”, anotou.

O outro lado

A defesa de Beto Richa disse que só vai se manifestar após a apreciação de um pedido de habeas corpus.

Já o advogado de Fernanda Richa alegou que ela é inocente e que confia na Justiça. A defesa ainda afirmou que ela sempre esteve à disposição para contribuir com eficiência nas investigações a que foi chamada a responder e que a prisão é excessiva, inadequada e desnecessária.

(Banda B)

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo impróprio ou ilegal, denuncie.