O deputado estadual Delegado Fernando (PSL) participou nesta sexta-feira (10) da recepção a Jair Bolsonaro em Foz do Iguaçu. Foi a primeira visita do presidente ao Paraná depois de eleito. Bolsonaro assinou a autorização para o início das obras da segunda ponte entre o Brasil e o Paraguai.

Também participaram do ato o vice-presidente Hamilton Mourão, o ministro da Justiça Sérgio Moro, o governador do Paraná Carlos Massa Ratinho Junior e o presidente paraguaio, Mario Abdo Benítez.

Delegado Fernando cumprimentou o presidente e o vice e definiu a agenda que fará em Brasília nos próximos dias, para tratar de assuntos da região noroeste. No Ministério da Justiça vai tratar da necessidade de instalação de uma delegacia da Polícia Federal em Umuarama.

A demanda já está sendo trabalhada pelo deputado federal Felipe Francischini, que também é presidente da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça). “Quero reforçar a necessidade (da delegacia). Boa parte das drogas e armas ilegais que abaste o crime organizado do Brasil passa por Umuarama. Precisamos melhorar a segurança da nossa cidade e da região”, disse Fernando.

O deputado disse que ficou emocionado com a recepção à comitiva do presidente Bolsonaro no interior do Estado. Segundo ele, a população de Foz e região expressou o sentimento dos paranaenses em relação ao governo federal, que vem tomando medidas moralizadoras para melhorar a situação do país.

 

De acordo com a Itaipu Binacional, a nova ponte será utilizada para o tráfego de caminhões e será conectada à Aduana da Argentina. No lado brasileiro, haverá uma ligação direta com a BR-277, sem que os veículos pesados precisem utilizar como rota o Centro de Foz do Iguaçu, a exemplo do que acontece atualmente.

Ainda conforme a Itaipu, a ponte também vai integrar, além do Brasil e do Paraguai, outros países da região como Argentina, Chile e Bolívia. Esses países, segundo a Itaipu, terão acesso direto aos mercados brasileiros.
Na contrapartida, o Brasil terá também ao oceano pacífico para exportação de grãos à China. A expectativa é de que isso reduza, especialmente, o custo dos fretes.

As obras vão custar R$ 462.995.564, 22. O valor será pago pela Itaipu Binacional e, segundo a empresa, o investimento não deverá afetar a tarifa da energia elétrica produzida pela binacional.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo impróprio ou ilegal, denuncie.