quinta-feira, 9 dezembro 2021
UMUARAMA/PR

Homem que esfaqueou Bolsonaro foi filiado ao PSOL por 7 anos

Homem que esfaqueou Bolsonaro foi filiado ao PSOL por 7 anos

Adelio Bispo de Oliveira foi filiado à legenda em Uberaba (MG) entre 2007 e 2014, quando pediu para deixar o partido

O homem acusado de esfaquear o candidato Jair Bolsonaro na tarde desta quinta-feira em Juiz de Fora (MG), Adelio Bispo de Oliveira, foi filiado ao PSOL de Uberaba (MG).

Ele esteve entre os filiados à legenda entre maio de 2007 e dezembro de 2014, quando pediu para deixar o partido. As informações constam do registro de filiados junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que pode ser baixado no site da corte eleitoral.

A partir de dados de Adelio Bispo de Oliveira divulgados pela polícia, como o nome de sua mãe e sua data de nascimento, é possível concluir que o número de sua inscrição eleitoral (destacado em vermelho acima) é o mesmo que aparece no registro do seu local de votação, em Uberaba (MG) (veja abaixo). Conclui-se, portanto, que não se trata de um homônimo, e sim do mesmo Bispo de Oliveira acusado do atentado contra o presidenciável.

O acusado também tem pendências com a Justiça Eleitoral. Em uma consulta a partir dos dados de Bispo de Oliveira, o serviço de emissão da certidão de quitação eleitoral do TSE informa: “Favor procurar o Cartório Eleitoral para regularizar a situação de sua inscrição.”

(Reprodução/TSE)

(VEJA)

Comente

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo impróprio ou ilegal, denuncie.

Mais lidas

POLÍCIA

Jovem morta em Santa Catarina foi obrigada a cavar a própria cova, diz polícia

A promotora de vendas Amanda Albach, 21, encontrada morta na sexta-feira (3) na praia de...
SAÚDE

Alemão mata toda família após fraudar certificado de vacina

Um professor alemão de 40 anos teria matado a esposa e seus três filhos de...
CONTRABANDO DE CIGARROS

PF desencadeia fase ostensiva da Operação Retorno e prende contrabandistas em Umuarama

A Polícia Federal não divulgou os nomes dos preso no âmbito da Operação Retorno.

Notícias Relacionadas