O Dia Internacional do Diabético, lembrado sempre no dia 27 de junho, reacende sempre o alerta para os cuidados que se deve ter em relação à doença. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), uma em cada 11 pessoas têm diabetes no mundo. O Brasil é o quarto país com o maior número de diabéticos, com 12,5 milhões de pessoas ou 7% da população total, atrás da China (114 milhões), Índia (73 milhões) e Estados Unidos (30 milhões). Os dados são do International Diabetes Federation (IDF).

“Quando alguém é diagnosticado com a doença, tem de reformular uma série de hábitos e passar a ter cuidados que antes não eram necessários. É um choque, um baque. Mas, faz parte do tratamento”, ressalta a médica Paula França Müller. Existem ao menos quatro formas da doença, que se caracteriza pela elevação da glicose no sangue (hiperglicemia): tipo 2 (corpo cria resistência à insulina), tipo 1 (pâncreas produz pouca ou nenhuma insulina), pré-diabetes (açúcar elevado, mas não suficiente para ser classificado como tipo 2) e diabetes gestacional (alto nível de açúcar durante a gestação).

Para conscientizar a população, a médica Paula França Müller listou alguns cuidados que se devem ter quando a diabetes aparece. Veja:

  1. Cuidados com os pés: muitos diabéticos podem perder a sensibilidade de membros inferiores, como dedos e pés. Dessa forma, feridas, rachaduras e calos podem ser alvo de fungos e bactérias sem que a pessoa perceba. Os machucados, então, podem infeccionar, principalmente porque quem tem diabetes tem problemas com cicatrização.
  2. Saúde bucal: nunca a recomendação de escovar os dentes após cada refeição foi tão importante. É que os diabéticos são mais sensíveis e sujeitos à periodontite, que ataca gengivas, dentes e suportes dentários, justamente porque a alta concentração de açúcar no sangue ajuda a desenvolver bactérias. O resultado pode ser uma baita infecção.
  3. Visão: é grande o risco de quem tem diabetes perder a visão porque o excesso de açúcar no sangue propicia aos vasos sanguíneos absorver mais líquido e inchar a retina, prejudicando-a. O que pode ocorrer? Retinopatia diabética ou edema macular diabético. O sinal é a visão borrada. Por isso, é importante consultar o oftalmologista com regularidade.
  4. Exercícios físicos e dieta balanceada: todo mundo sabe que exercitar-se é a principal forma de prevenir muitas complicações causadas pela diabetes, porque o exercício estimula a produção de insulina e queima a gordura corporal. Isso quer dizer que alguns tipos de diabetes podem até ser amenizados com alguns tipos de diabetes. E provocar tantos outros benefícios. Junto do exercício é preciso vir acompanhada uma boa dieta, com moderação no consumo dos alimentos.
  5. Cigarro e álcool: fumar multiplica por cinco riscos de infarto em diabéticos, eleva o acúmulo de gordura nas artérias bloqueando a circulação, aumenta a pressão arterial e outras complicações. Já o álcool eleva o nível de glicemia, mas, também pode causar um efeito contrário, que é a hipoglicemia (diminuir o nível de glicose), pois o corpo vai se ocupar em processar o álcool.

Paula França é médica em Londrina, formada pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) especialista em saúde da família e pós-graduanda em dermatologia pelo Instituto Superior de Medicina (ISMD), de São Paulo. Hoje atua como médica do Programa Saúde da Família na unidade básica de saúde do Jardim Santo Amaro, em Cambé, além de clinicar e integrar o corpo de professores da Pontifícia Universidade Católica (PUC), campus Londrina.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo impróprio ou ilegal, denuncie.