O professor Paulo Alberto Tomazinho, que dá nome a um dos colégios mais tradicionais de Umuarama, no centro da cidade, foi o homenageado da última quinta-feira, 28, na minissérie “Eu Amo Umuarama”, com a exibição de um curta-metragem e uma roda de conversa com a participação de familiares, colegas de profissão e amigos convidados pela esposa Ângela e pelos filhos Paulo Henrique e Luiz Fernando Tomazinho.

O bate-papo aconteceu em uma sala de aula do Colégio Estadual Professor Paulo Alberto Tomazinho, o antigo Colégio Estadual de Umuarama, onde o homenageado lecionou ao lado de professores renomados que se tornaram lideranças da comunidade. Emocionada, Ângela Tomazinho agradeceu a iniciativa da Secretaria de Comunicação da Prefeitura – com o projeto que resgata as memórias de personagens importantes da história da cidade –, ao prefeito Celso Pozzobom e todos os presentes, e relembrou histórias profissionais, pessoais e políticas do marido, que morreu em outubro de 1998, aos 52 anos.

“Ele foi um bom pai, marido e professor nato, 24h por dia ensinando, sempre lembrado pelas atitudes e exemplos, pela humildade e sabedoria. Dando nome a uma das escolas mais importantes de Umuarama teve o reconhecimento pelo seu trabalho, pela sua vida, e entrou para a história da cidade”, resumiu Ângela.

O prefeito Celso Pozzobom lembrou da convivência política com Tomazinho, especialmente nas campanhas para deputado federal – quando ficou como segundo suplente – e a prefeito de Umuarama, quando perdeu por 180 votos para Alexandre Ceranto. “Estivemos próximos quando ele comandou a Cafe do Paraná, o prefeito era Antônio Romero Filho e eu era chefe de Gabinete na Prefeitura. Foi uma pena ele não ter sido eleito prefeito, pois tinha grandes planos para Umuarama e a cidade certamente seria outra, hoje. Cheguei a ser indicado para ser o candidato a vice do Paulo, mas as lideranças optaram pelo Irineu Fernando, o Fernandão”, lembrou Pozzobom.

Tomazinho tinha muitos adjetivos, segundo o prefeito, mas se destacava a ponderação, a paciência e a sabedoria. “Depois da eleição para prefeito ele se desiludiu da política e não quis disputar mais nenhum cargo, apesar de sempre ser lembrado e consultado pelas lideranças locais. Ele merece essas homenagens, o nome do colégio e muito mais”, completou.

Entre outros amigos e familiares, contaram histórias de Paulo Tomazinho o advogado Luiz Sérgio de Toledo Barros, o secretário de Indústria, Comércio e Turismo, Douglas Bácaro, os professores Augusto Gaioski, Leonice Batisti Lozovoy, Ivete Todero Uliana, Maria Pelarigo e a diretora do Colégio Paulo Tomazinho, a diretora auxiliar Andreia Aparecida da Silva e os amigos Rômulo Rauen, Regina e Iara, entre outros convidados.

A professora aposentada Maria Pelarigo pediu o engajamento da classe e da sociedade para que o estabelecimento seja chamado pelo nome correto – Colégio Estadual Professor Paulo Alberto Tomazinho – ao invés da sigla Ceppat, hoje muito utilizada, e obteve o apoio de todos os presentes, especialmente da diretora. Ângela Tomazinho recebeu um quadro do projeto “Eu Amo Umuarama” como homenagem, das mãos do prefeito Celso Pozzobom.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo impróprio ou ilegal, denuncie.