A construção do Parque dos Ipês, onde antes existiu o Complexo Poliesportivo – na Avenida Parigot de Souza – está sendo feita por etapas, conforme orientação do prefeito Celso Pozzobom e também como cuidado para evitar que a erosão não volte a ameaçar a região. Cada novo setor que é trabalhado com a terraplenagem recebe gramado e só quando está consolidado as máquinas da Prefeitura avançam para a área seguinte.

Desta forma, quando a adequação do solo for executada em toda a extensão do futuro parque, a maior parte já estará gramada e pronta para receber as melhorias previstas no projeto. “O parque será construído com todos os critérios de segurança e qualidade. Vai ser uma nova área de lazer para a população se encontrar, passear, praticar esportes e se divertir, inclusive com seus bichos de estimação”, disse o prefeito Celso Pozzobom.

“Umuarama carece dessas áreas e este parque está sendo construído para dar mais uma opção, além de sepultar de vez as ruínas do Poliesportivo, que foi praticamente engolido pela erosão e exigiu um investimento vultuoso para implantação de drenagem pluvial”, lembrou o prefeito.

Na última semana, mais uma etapa da terraplenagem foi realizada, com a adequação de mais 4 mil m². “O espaço já está praticamente pronto para receber a grama. E já adiantamos mais uma área para a próxima etapa, além de removermos parte dos muros. Aos poucos o futuro parque começa a ganha forma e, até o final do ano, creio que entraremos na reta final”, estimou o secretário de Obras, Planejamento Urbano e Projetos Técnicos, Isamu Oshima.

HISTÓRIA

Localizada na Zona Sete e contornado pela Avenida Governador Parigot de Souza e ruas Mogno, Paineira, Capital da Amizade e Ibiaí, a região do Poliesportivo foi duramente castigada pela erosão após o rompimento da tubulação ármica construída para a drenagem pluvial. Em efeito cascata, os tubos foram se rompendo, a erosão engoliu o campo, parte das arquibancadas, trechos de ruas e da avenida. A erosão foi contida com a construção de aduelas em concreto e um canal aberto, protegido por gabiões.

“Mesmo após a construção das aduelas, o rompimento de tubulações provoca estragos constantes na avenida e exige atenção e cuidado. A região é instável, com uma grande rede de galerias pluviais e as nascentes do córrego Pinhalzinho, por isso não pode receber grandes edificações”, lembrou Pozzobom.

Por isso, a administração optou por recuperar a área com um parque gramado e arborizado, com pistas de caminhada, ciclovias, quadras, banheiros, um mirante e um barracão coberto e aberto para a realização de eventos e o convívio da população. “A reurbanização trará um novo aspecto. Concebemos o projeto de uma área verde, um parque de lazer que privilegia a natureza, o ar livre e a contemplação”, pontuou o secretário Isamu Oshima.

O serviço é de longo prazo e está sendo executado com maquinário, equipe e recursos próprios do município. Por isso, o prefeito Celso Pozzobom não estabeleceu um prazo para a conclusão da obra. “Vamos continuar executando as etapas com cuidado e capricho para que a obra seja definitiva, uma solução para aquela região problemática e uma nova opção de lazer para a população. Vamos avançando aos poucos e logo Umuarama vai ganhar mais este presente para a sua qualidade de vida”, emendou.

“Teremos em breve uma bonita área de lazer, estruturada para a prática de caminhadas e esportes. O novo cartão-postal, implantado para o bem-estar e a qualidade de vida da população, eliminará uma área degradada que até hoje incomoda os umuaramenses”, finalizou o prefeito Pozzobom.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo impróprio ou ilegal, denuncie.