O Ministério Público do Paraná, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), cumpre nesta quarta-feira (7) 32 mandados de busca e apreensão em Curitiba, Campo Largo, Cascavel e Castro. O trabalho integra a sexta fase da Operação Quadro Negro, que apura desvios de dinheiro público em obras de construção e ampliação de escolas.

Esta etapa da Quadro Negro envolve 22 empresas que mantiveram contratos com o Estado. As ordens judiciais foram expedidas pelo Juízo da 9ª Vara Criminal de Curitiba, a pedido do MPPR. As buscas são feitas nas residências de 29 empresários e de dois ex-servidores públicos (três casas).

Estão sendo apreendidos celulares, computadores, documentos e valores. Todo material será agora analisado. Houve também quatro prisões em flagrante em Curitiba, sendo duas por posse ilegal de arma, uma por posse ilegal de munição e uma por desacato.

Iniciada em agosto de 2015, a Operação Quadro Negro trata de um grande caso de corrupção ativa, peculato e desvios de verbas públicas ocorridos no âmbito da Secretaria de Estado da Educação (Seed), especificamente por meio da Superintendência de Desenvolvimento Educacional (Sude), entre os anos de 2012 e 2015.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo impróprio ou ilegal, denuncie.