A situação é dramática no combate ao incêndio no Parque Nacional de Ilha Grande devido às condições climáticas, segundo o Instituto Chico Mendes da Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

De acordo com o último boletim divulgado nesta sexta-feira (16), rajadas de mais de 40 km/h, próximo ao meio dia, mudaram todo o cenário previsto para o combate ao incêndio. As chamas que se deslocavam lentamente tomaram o sentido nordeste com grande força, atingindo condição extrema de propagação. Em menos de uma hora o fogo atravessou o aceiro da lagoa Saraiva onde a equipe se preparava para o combate. Por motivo de segurança bombeiros e brigadistas tiveram que deixar o local e foram recolhidos da área de risco.

Não foram só os combatentes que tiveram as suas vidas resguardadas. Ao longo do combate ao incêndio, as equipes tem se deparado com alguns sobreviventes da fauna típica do parque e registrado a sua presença. São tamanduás, antas, cobras, muitos cervos, inclusive com filhotes e até um lobo Guará cuja ocorrência é prevista no plano de manejo na unidade, mas até então não havia registros em imagens.

O ecossistema do Parque Nacional de Ilha Grande e os incêndios que ali ocorrem possuem alto nível de agressividade e peculiaridades que dificultam o trabalho naquele ambiente. Apesar de todo o aparato disponível é uma região com extrema dificuldade e alta complexidade. Os acessos se dão apenas por embarcação ou aeronave, o terreno é instável e alagado, a vegetação não permite visual para equipe em solo e as labaredas podem alcançar de 10 a 12 metros de altura. Isso sem considerar quando alcançam as árvores. O calor é intenso o que cria um microclima que deixa o vento ainda mais forte e imprevisível. O cenário pode mudar de forma inesperada em instantes, exigindo ajustes drásticos no planejamento.

Além da equipe de 65 pessoas que já estavam realizando o combate, o Parque Nacional do Iguaçu, também gerenciado pelo ICMBio, enviou mais 7 brigadistas para compor com a força tarefa de combate ao incêndio e um helicóptero para apoio logístico.

A equipe do ICMBio que monitorava o fogo na frente norte da ilha Grande, deu por vencido o fogo e se deslocou para na frente sul de combate ao incêndio.

A força-tarefa conta agora, portanto, com uma equipe de 72 pessoas atuando diretamente num esforço conjunto envolvendo, além do ICMBio (órgão gestor da unidade) o Corpo de Bombeiros do Paraná e do Mato Grosso do Sul, Polícia Militar Ambiental do Mato Grosso do Sul, Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas e o CORIPA, consórcio intermunicipal que está coordenando o apoio logístico e articulando o apoio operacional das prefeituras de Altônia, São Jorge do Patrocínio, Icaraíma e Alto Paraíso.

O Parque Nacional de Ilha Grande Mata Atlântica possui uma área de 76.138,19 hectares, sendo 36.902,46 hectares de área atingida pelas chamas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo impróprio ou ilegal, denuncie.