O empresário Felipe Cogorno Alvarez, dono do Shopping China. Com lojas em várias cidades do Paraguai e na Bolívia, teve a prisão preventiva decretada na manhã desta terça-feira pelo juiz Marcelo Bretas da Justiça Federal do Rio de Janeiro dentro da Operação Patrón, nova fase da Lava Jato. Os mandados foram cumpridos deflagrada pela Polícia Federal no Rio de Janeiro, São Paulo e Mato Grosso do Sul.

Cogorno e outras 19 pessoas entre brasileiros e paraguaios são acusados de participarem de um esquema de lavagem de dinheiro com o doleiro Dario Messer, preso em junho e que era sócio do ex-presidente e senador vitalício do Paraguai Horácio Cartes que também teve a prisão decretada.

Agentes da Polícia Federal deixam mansão de pecuarista no centro de Ponta Porã (Foto: Porã News)

Em Ponta Porã foram cumpridos mandados de prisão e busca e apreensão na casa, no haras e na fazenda do pecuarista de Ponta Antonio Joaquim da Mota. Ele a esposa dele Cecy Mendes Gonçalves da Mota e o filho do casal, Antonio Joaquim Mendes Gonçalves da Mota, também tiveram as prisões decretadas pela justiça carioca.

Outro membro da família que foi preso na operação foi Orlando Mendes Gonçalves Stédile que estava no Rio de Janeiro.

Completam a lista dos mandados de prisão Dario Messer (doleiro, já preso), Alcione Maria Mello de Oliveira Athayde, Roland Pascal Gerbauld, Lucas Lucio Mereles Paredes, Luiz Carlos de Andrade Fonseca, José Fermin Valdez Gonzales, Maria Letícia Bóbeda Andrada, Myra de Oliveira Athayde, Arleir Francisco Bellieny, Roque Fabiano Silveira, Najun Turner, Valter Pereira Lima, Edgar Ceverino Aranda Franco e Jorge Alberto Ojeda Segovia.

Segundo a Polícia Federal todos que não foram presos na operação desta manhã são considerados foragidos e estão na Lista Vermelha de procurados da Interpol.

Fonte: https://www.msemfoco.com.br/

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo impróprio ou ilegal, denuncie.