A sessão plenária desta terça-feira, 4, foi marcada pelo apelo do deputado Soldado Adriano José para que seja iniciada, no Paraná, uma campanha de conscientização para estimular as mulheres vítimas de violência a denunciarem os agressores.

O deputado lembrou o caso recente, que causou comoção em Maringá, da morte da dançarina Maria Glória Poltronieri Borges, mais conhecida como Magó. Ela foi morta quando acampava próximo a uma cachoeira da região.

“Nós não poderíamos começar o ano legislativo sem tocar nesse caso. Eu conheço a família da Magó, conheço o pai dela, fui ao velório lá em Maringá, me sensibilizei, me emocionei porque a gente não consegue mensurar a dor que a família está sentindo. O que aconteceu com a Magó acontece diariamente no país. O Brasil ocupa o 5º lugar no ranking mundial de violência contra a mulher. Em 2017 ocorreram 60 mil estupros no país e 4936 mulheres foram assassinadas, sendo que mais de 60% eram negras. No Paraná o dado também é preocupante porque a cada 24 minutos uma mulher é violentada no Estado. O feminicídio vem aumentando. Os números de 2017 e 2018 mostram isso”, declarou o deputado.

Adriano José pediu rapidez na investigação da morte de Magó e falou da importância de se fortalecer as delegacias do Paraná para que possam prestar atendimento às mulheres vítimas de violência.

“Muitas mulheres não têm coragem de denunciar. Temos que trabalhar para fortalecer as delegacias, que mesmo diante das dificuldades já vem desempenhando um excelente trabalho no Paraná, para que possam se especializar cada vez mais neste tipo de atendimento”.

Fonte: Ascom

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo impróprio ou ilegal, denuncie.