A empresa de medicamentos Prati-Donaduzzi confirmou nesta quarta-feira (5), em evento com o governador Carlos Massa Ratinho Junior, no Palácio Iguaçu, investimentos de R$ 650 milhões nos próximos três anos na ampliação da sua planta em Toledo, no Oeste do Paraná. Serão 350 novos empregos diretos. O empreendimento tem o apoio do Governo do Estado.

A Prati-Donaduzzi é a maior fabricante de medicamentos genéricos do País, com capacidade produtiva de 12 bilhões de doses terapêuticas por ano. A marca estima presença em mais de 55 mil farmácias, 36 mil Unidades Básicas de Saúde e impacto diário na vida de 25 milhões de brasileiros, principalmente entre as famílias mais humildes e a população idosa.

O governador destacou que a ampliação permitirá acesso da empresa a novos mercados, geração de mais empregos na região Oeste e, ao final do processo de expansão, baratear o custo final dos medicamentos. “É uma conquista para o Estado. A empresa já gera 4,5 mil empregos diretos no Paraná e vai ampliar ainda mais esse alcance. Criamos um ambiente favorável para a atração de investimentos e geração de emprego”, afirmou Ratinho Junior.

Ele destacou que as negociações relacionadas a incentivos fiscais entre a empresa e os técnicos do Governo do Estado duraram cerca de oito meses, e que o retorno social é muito seguro para o Paraná. “É uma empresa que tem ciência, tecnologia e inovação no seu DNA, tem uma visão moderna, gera empregos com qualidade e boa remuneração. A Prati-Donaduzzi é genuinamente paranaense, um cartão de visitas do Estado, capaz de atrair outras empresas e novos empregos”, acrescentou Ratinho Junior.

CONCORRÊNCIA – Segundo Eduardo Bekin, diretor-presidente da Invest Paraná, agência estadual de atração de investimentos privados, o aporte inicial é de R$ 650 milhões, mas esse montante pode ultrapassar R$ 800 milhões nos próximos anos e atingir R$ 1 bilhão em uma década. O Estado venceu a concorrência de São Paulo, Pernambuco e Ceará por essa planta da empresa.

“Temos três grandes pilares na Invest Paraná: geração de emprego, desenvolvimento social e aumento da arrecadação. Mesmo com benefícios fiscais, fazemos contas a médio e longo prazos sobre o retorno financeiro e social para o Estado”, disse Bekin. “Nossa conta é muito criteriosa, passando pela intenção de investimento e em tecnologia aplicada no processo e chegando na contratação do primeiro funcionário. Foi uma briga muito boa com outros estados, mas dentro de parâmetros muito responsáveis”.

PRATI-DONADUZZI – A Prati-Donaduzzi é uma indústria farmacêutica especializada no desenvolvimento e na produção de medicamentos genéricos, principalmente anti-inflamatórios, antibióticos e comprimidos para combater obesidade, diabetes, pressão alta e dor. Com sede em Toledo, no Oeste, a indústria possui um dos maiores portfólios de medicamentos genéricos do Brasil.

Eder Fernando Maffissoni, diretor-presidente da empresa, afirmou que a ampliação fará da Prati-Donaduzzi a maior produtora de comprimidos da América Latina. “É um investimento significativo para a indústria farmacêutica. Vamos ampliar a capacidade e modernizar a estrutura atual, fazer mais uma unidade para 3,6 bilhões de doses por ano, além de um novo Centro de Distribuição em Toledo e do desenvolvimento de novos produtos, em pesquisa e desenvolvimento”, explicou.

A Prati-Donaduzzi é líder em volume de produção de medicamentos genéricos, mesmo com uma concorrência de outros 150 laboratórios farmacêuticos no País. A empresa atinge todas as cidades brasileiras e exporta medicamentos para o Texas (EUA), além de ter registrado crescimento de 15% e gerado 208 novos postos de trabalho no Paraná e nos centros de distribuição espalhados pelo País no ano passado.

Entre as novas iniciativas está a atuação na área de prescrição, principalmente em medicamentos indicados para tratamento de Parkinson, Alzheimer, epilepsia e epilepsia refratária, ansiedade, depressão e demência. “Esse investimento em Toledo abriga os nossos novos produtos. Para que eles consigam ser mais competitivos e também mais acessíveis para a população”, complementou Eder Maffissoni.

No ano passado a empresa participou da CPhI Worldwide, considerada a maior exposição farmacêutica do planeta, em Frankfurt, na Alemanha. A Prati-Donaduzzi apresentou um novo insumo farmacêutico ativo, o canabidiol sintético, e recebeu sondagens de mais de trinta países pela tecnologia aplicada na matéria-prima e no medicamento.

PRESENÇAS – Estiveram presentes na solenidade os secretários Hudson José (Comunicação Social e Cultura), Sandro Alex (Infraestrutura e Logística) e Renê Garcia (Fazenda); o diretor-presidente da Cohapar, Jorge Lange; os deputados estaduais Marcel Micheletto, Soldado Adriano José e Dr. Batista; o sócio-fundador e presidente do Conselho Administrativo da Prati-Donaduzzi, Luiz Donaduzzi; o diretor financeiro da Prati-Donaduzzi, Marcelo Safadi Alvares; o secretário de Desenvolvimento Econômico de Toledo, Jozimar Polasso; e o superintendente da Paraná Educação, Claudio Palozi.

Toledo recebe investimentos também em usinas de biogás

O investimento de R$ 650 milhões da empresa de medicamentos se soma a outro de R$ 80 milhões anunciado no mês passado em Toledo, em duas usinas de produção de biogás. Também por meio da Invest Paraná, o Governo do Estado firmou convênios de R$ 60 milhões com a empresa alemã Mele e de R$ 20 milhões com a indústria paranaense Compostec para a instalação de duas usinas que utilizarão como matéria-prima dejetos suínos e resíduos das agroindústrias.

Segundo o prefeito Lúcio de Marchi, esses investimentos contam a história do passado e do futuro da cidade. “Toledo cresce muito acima da média estadual e federal, e a Prati-Donaduzzi atrai empregos de muita qualidade, com 4,5 mil empregos diretos, fora os indiretos e aqueles do início da construção, porque muitas pessoas vão trabalhar para erguer essa planta”, afirmou.

“Toledo já exporta carne para todo o mundo, mais de 100 países, temos essa tradição que transformou a região Oeste. É uma cultura com 1,18 milhão de suínos e 10 milhões de frangos, por exemplo. E em breve vamos exportar medicamentos. Temos essa nova vertente da biotecnologia, da produção de ciência, de uma empresa com a tradição da Prati-Donaduzzi, o que engrandece o município”, arrematou Marchi.

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, Toledo teve saldo de 1.118 novos empregos em 2019, salto de 1.280% em relação a 2018, que teve índice positivo de 81 vagas.

Fonte: AEN

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo impróprio ou ilegal, denuncie.