O Ministério da Saúde recomendou hoje (24) às secretarias estaduais e municipais de Saúde que adiem a vacinação de crianças nesta primeira etapa da campanha de imunização contra a gripe, como forma de prevenção à contaminação pelo novo coronavírus (covid-19). A campanha teve início nesse fim de semana em alguns estados e ontem em outros para idosos acima de 60 anos.

A primeira fase previa imunizar idosos e crianças. Em diversas cidades, filas se formaram e secretarias de saúde vêm buscando formas de realizar a vacinação assegurando o distanciamento, embora tal preocupação não tenha conseguido evitar aglomerações em locais de acesso.

A recomendação de adiamento para crianças foi motivada, de acordo com o Ministério da Saúde, pelo cuidado a ser adotado com os idosos, principal grupo de risco e faixa etária com maiores índices de mortalidade.

As crianças, ao contrário, são a faixa com menor índice de letalidade, mas podem contribuir para difundir o vírus. “A medida preventiva tem o objetivo de reduzir o contato dos idosos com crianças, já que estas são importantes transmissores e disseminadores das doenças respiratórias”, explicou o ministério, em nota.

Assim, os pais devem aguardar para levar os filhos aos postos de saúde e outros locais de vacinação a partir do dia 16 de abril. A medida também vale para os adultos, mas com exceções para locais com alta incidência de outras doenças.

“Para estados com circulação ativa do vírus de sarampo e febre amarela, é recomendada a continuidade da vacinação para as duas doenças, e que estas estratégias ocorram de forma planejada afim de evitar concentração de pessoas”, orienta Ministério da Saúde.

1° Fase da vacinação em Umuarama

 

A Secretaria Municipal de Saúde decidiu suspender o atendimento em algumas unidades básicas de saúde (UBS) de Umuarama para preservar os servidores que fazem parte dos grupos de risco (pessoas na casa dos 60 anos, gestantes e portadores de comorbidades), que estão afastados do trabalho. Consultas e procedimentos que seriam realizados nesses locais foram transferidos para unidades em bairros próximos.

Apesar da suspensão das férias de todos os servidores da área de saúde, o fechamento dessas unidades foi necessário devido ao afastamento de trabalhadores que pertencem aos grupos de risco e por isso foram orientados a permanecer em casa, em razão dos decretos do município com medidas preventivas e de combate à disseminação do coronavírus.

“Além disso temos funcionários afastados por atestado médico. Os servidores remanescentes, dessas unidades fechadas, vão trabalhar em conjunto com o pessoal das UBS que permanecerão atendendo nos outros bairros”, explicou a secretária municipal de Saúde, Cecília Cividini. “Como algumas equipes ficaram muito reduzidas tivemos que realizar essa adequação para garantir o atendimento nesse momento difícil para o setor de saúde”, reforçou. A medida foi adotada por tempo indeterminado.

Os usuários das UBS fechadas estão sendo orientados a procurar outra unidade próxima, que passaram a ser referência para o atendimento. As unidades terão avisos fixos nas portas e, nesta segunda-feira, 23, uma pessoa permanecerá no local para orientar os usuários.

UNIDADES FECHADAS

A UBS 26 de Junho está fechada e os usuários passam a ser atendidos na UBS Ouro Branco, que receberá os moradores do 26 de Junho, Dom Pedro 1 e 2, Independência e San Martin. O Posto de Saúde Central foi fechado e os usuários serão atendidos na UBS Bem-Estar. A UBS Cohapar I também está fechada e a comunidade passa a ser atendida na UBS Vitória Régia.

A UBS Jabuticabeiras fecha e a população local será atendida na UBS 1º de Maio. A UBS Panorama também está fechada e os moradores do bairro serão atendidos na UBS Cidade Alta. Por fim, a UBS Jardim Cruzeiro também fechou temporariamente e o atendimento foi transferido para a UBS Jardim Lisboa.

VACINAÇÃO

Começou nesta segunda-feira, 23, a Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza. A Secretaria de Saúde definiu uma estratégia de atendimento para a imunização do público-alvo da primeira etapa. De acordo com o primeiro lote de vacinas liberadas, inicialmente serão imunizados os profissionais de saúde dos hospitais, doentes acamados (vacina a domicílio) e idosos acima dos 80 anos.

“O lote inicial liberado pela Secretaria de Estado da Saúde não atende a toda a demanda da primeira etapa da vacinação contra a gripe. À medida que forem entregues novos lotes de vacina divulgaremos como será feita a vacinação dos grupos prioritários”, completou a secretária Cecília Cividini.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo impróprio ou ilegal, denuncie.