A Espanha é um dos países mais afetados com a pandemia do coronavírus: são mais de 40 mil infectados e quase 2700 mortos, conforme dados apresentados na terça-feira (24).

Em contato com a família por um aplicativo de mensagens, uma paranaense que mora na região de Barcelona com a família, descreveu por áudio, o cenário que está vivendo no país espanhol. Segundo ela, faz 11 dias que começou o confinamento domiciliar e que em sua opinião, o governo demorou muito para levar a pandemia a sério.

“Quando foi decretado o confinamento, nós já estávamos com 5 mil casos confirmados. Infelizmente pela demora para agir, 11 dias depois, estamos com 40 mil casos confirmados.” – conta.

A Espanha é considerada uma nação de primeiro mundo, mas a brasileira afirma que isso não ajudou a conter o colapso no sistema de saúde durante a pandemia.

“Os hospitais aqui já estão colapsados, já não tem espaço para atender pacientes. As coisas estão ficando muito difíceis. Não tem respirador. A gente tem ideia de que vai morrer muita gente. O governo já alertou que essa semana vai ser muito dura.” – relata.

Sobre o desabastecimento de alimentos, a mulher relata que ele está acontecendo: “Os mercados estão vazios, não se encontra nada mais. Não tem como repor, as pessoas estão comprando muito. Sem poder sair para comprar.”

A paranaense ainda expressou sua preocupação com o que pode acontecer no Brasil: “Se nós aqui que estamos num país de primeiro mundo e está morrendo tanta gente, imagina no Brasil. O que pode acontecer aí se aumentar os casos da maneira que aumentou aqui? Vai morrer muita gente. E não é só idoso que morre não. Aqui na minha região, hoje morreu um bebê de 2 anos e um adolescente de 14 anos.”

A mulher conta que os espanhóis já estão acreditando que será feita uma declaração de “estado de guerra” pelo governo, que segundo ela, o exército age para levar alimentos nas casas, e todos são proibidos de transitar nas ruas.

E mesmo com todo esse cenário, muitas pessoas ainda não se preocupam com a situação. Segundo ela, muitos não estão adotando as medidas impostas pelo governo para conter a disseminação do coronavírus e que por culpa dessas pessoas que agem assim, ela acredita que haverá mais sofrimento ainda no país.

“Tem dias que bate o desespero. Vê o que as pessoas estão passando aqui, e pensa nos familiares aí. Os governos daqui levaram na brincadeira, e nós estamos pagando por isso. Já estamos esperando o pior. Tem que se trancar em casa mesmo, fechar cidades mesmo, fazer tudo o que tem que fazer para evitar que isso chegue na região de vocês.” – conta.

A paranaense finalizou com uma mensagem de esperança: ” Tenho certeza que isso um dia vai chegar ao fim. Quando? Ainda não sabemos. Deus está por nós e vamos esperar nele.”

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo impróprio ou ilegal, denuncie.