A equipe do Umuarama News recebeu uma denúncia na manhã desta quinta-feira (26), alegando que funcionários do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU)  de Umuarama receberam os EPI’s para usarem no atendimento à pacientes de coronavírus, mas que há algumas irregularidades.

Ao receber os equipamentos, eles foram instruídos a assinarem um termo em que constava a autorização de desconto no salário, caso o EPI fosse danificado, e que se recusasse a utilizar os equipamentos, isso resultaria em demissão por justa causa.

Na embalagem do macacão – um dos equipamentos recebidos e que são indispensáveis para profissionais de saúde que estão na linha de frente no atendimento de covid-19 – o fabricante instrui ser um material descartável, e que serve somente para proteger de risco químico, e não biológico.

Instruções do fabricante é de que o produto seja descartado logo após o uso

Ao repararem que se tratava de um material frágil, funcionários não se sentiram confortáveis com o termo, pois eles vão ter que reutilizar o equipamento, e não descartar, como orienta a embalagem.

Ao entrarem no site da marca, verificou-se tratar de um macacão de pintura, para uso único. Foi repassado para nossa equipe que o material é fino, muito suscetível a rasgos, e que para vedar o zíper é necessário usar uma fita dupla face, deixando ainda mais difícil de manter em bom estado após o primeiro uso.

Além disso, as informações que chegaram para nossa equipe, dão conta de que viseiras para a proteção dos olhos são de uso coletivo, e não individual.

Aqui no município, o SAMU tem feito as transferências dos suspeitos com coronavírus, e por isso necessitam estar seguros, inclusive na desinfecção dos equipamentos usados após os atendimentos.

Outra denúncia chegou na tarde de hoje (26) se trata justamente disso. Em áudio, foi informado para nossa equipe que os profissionais do SAMU não podem usar a tenda para se desinfetarem após os atendimentos, pois segundo a coordenação, ainda “não há necessidade de usar”, estando sujeitos a contaminação pelo vírus.

Nossa equipe entrou em contato com o coordenador médico do SAMU de Umuarama, Maxsuel Fidelis de Pádua Almeida, para esclarecimentos sobre a situação.

Ele esclareceu que as viseiras por serem de plásticos, são desinfetadas e esterilizadas, assim como está acontecendo em outras localidades.

Sobre o macacão, o coordenador explicou que segundo as normas da ANVISA, que regulamenta os EPI’s para atendimento à pacientes do coronavírus, é obrigatório o uso apenas de avental, óculos de proteção ou máscara facial e luvas, para profissionais da saúde que transportam pacientes de covid-19 e ressaltou que o macacão é “algo a mais” para os funcionários.

Leia Nota 04/2020 da ANVISA na íntegra, atualizada em 21 de março de 2020.

http://portal.anvisa.gov.br/documents/33852/271858/Nota+T%C3%A9cnica+n+04-2020+GVIMS-GGTES-ANVISA-ATUALIZADA/ab598660-3de4-4f14-8e6f-b9341c196b28

Para Masxuel não há problemas em esterilizar o macacão. Mesmo o fabricante do equipamento orientando ser descartável, e de material frágil, o macacão será reutilizado pelos profissionais, e a cada atendimento terá de ser feita a desinfecção.

“Até podemos usar um macacão para cada atendimento, mas ele é de material impermeável, ou seja, pode ser feito a desinfecção do equipamento. Sobre a fita dupla face, realmente se descolar, vai ter que ser feito o descarte do equipamento.”

E como fica a questão do termo que os funcionários assinaram em que autorizavam o desconto do salário, caso houvesse danos nos EPI’s?

Em relação ao termo que os funcionários tiveram que assinar ao receberem os equipamentos, o coordenador explicou que após duas reuniões nesta manhã (26), ficou decidido e registrado em ata que, caso o macacão perca a cola na vedação do zíper e tenha que ser descartado, o funcionário não será penalizado, mas o documento não será devolvido.

No último domingo (22), foi publicado no site do Umuarama News, uma reportagem que contava o descaso que os profissionais do SAMU estavam passando aqui em Umuarama. Até máscara N 95 estava em falta. Relembre o caso.

https://umuaramanews.com.br/2020/03/22/atualizado-covid-19-sem-o-equipamento-adequado-profissionais-do-samu-de-umuarama-pedem-socorro/

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo impróprio ou ilegal, denuncie.