O empresário Danillo Ronqui, de 32 anos, foi o 5º paciente com teste positivo para coronavírus em Maringá. O resultado do exame foi divulgado na última quarta-feira (25). Natural de Umuarama, ele mora em Maringá há três anos junto com a esposa e quatro filhos. Em entrevista ao site GMC Online, Ronqui falou sobre a doença.

Quando você suspeitou que estava com a doença?

Eu estive em São Paulo na feira Revestir, entre os dias 9 a 12 de março, e voltei para Maringá no dia 12 mesmo. No dia 17, eu estava com alguns sintomas gripais e uma pessoa que eu tive contato durante a feira se manifestou nas redes sociais, fazendo alerta sobre estar com suspeita de coronavírus. Foi aí que decidi ir na UPA Zona Sul. Expliquei o que tinha acontecido. Eles me isolaram e pediram autorização à Regional de Saúde para fazerem o exame de coronavírus. Fiz os exames e fiquei em isolamento dentro de casa. Depois disso, tive bastante dor no corpo, mas não tive febre intensa, falta de ar, nem dor de garganta.

Como foi o isolamento domiciliar, você teve medo de contaminar a família?

Eu fiquei em casa, mas sem ter contato com a minha família, mesmo acreditando que seria inútil essa atitude. Segui essas recomendações para desencargo de consciência, mas para mim, se eu estivesse contaminado, já teria passado para eles, porque convivemos cerca de cinco dias com abraços, carinhos e almoçando juntos. Um dos meus filhos, de oito meses, está internado na UTI desde sexta-feira passada [20 de março]. Ele desenvolveu uma crise de bronquiolite. Agora, ele está começando a reagir ao tratamento, e já reduziu para 22% o uso do ventilador mecânico. Os exames ainda não saíram, mas tenho certeza que vai dar positivo. Os outros tiveram alguns sintomas gripais fracos, mas estão bem e em casa. A recomendação é para levar ao médico se tiverem febre ou falta de ar.

Quando foi para você quando recebeu os resultados?

Geralmente a gente pensa que nunca vai acontecer com a gente, é sempre assim. Mas em momento algum eu tive medo ou fiquei preocupado. Segui com orações, fé e confiando em Deus, confiando que estava na mão dele e que logo isso ia passar.

Você já saiu do isolamento domiciliar?

Agora eu não transmito mais o vírus. Segundo os órgãos de saúde, o período que o vírus pode ser transmitido é 14 dias. Passou disso, ele já não é mais transmitido. Mas ainda estou evitando ao máximo sair de casa, seguindo as recomendações.

Outras pessoas próximas que estiveram com você na feira também se contaminaram?

Alguns funcionários meus e arquitetos também foram. Fomos de avião e estávamos em 36 pessoas. Alguns deles disseram que apresentaram sintomas gripais. Mas, dizem que 40% das pessoas são assintomáticas, e eu acredito que quem não pegou vai pegar, e não é todo mundo que vai morrer, mas alguns vão, como os idosos e quem já tem algum problema de saúde.

Eu creio que muito em breve vai ter alguma vacina que protege a população. Mas no momento, é importante que as pessoas tenham a consciência e sigam as recomendações. Sou empresário, tenho meus compromissos e isso já teve um reflexo muito grande nas minhas empresas. Mas, também estou vivendo a outra ponta, de quem teve contato com o vírus e está com o filho internado na UTI.

Também não acredito que voltar o comércio agora vai acabar com todos os problemas financeiros do país, como tem tanta gente batendo nessa tecla, porque vai aumentar o custo operacional das empresas. Não vai ter o que costumávamos ter de fluxo de clientes e negociações, está todo mundo com medo e preocupado. Quem vai comprar um relógio, uma joia, um calçado? Será que as pessoas vão comprar, ou vão segurar o dinheiro com medo do que pode acontecer mais para frente?

Fonte: TV Caiuá

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo impróprio ou ilegal, denuncie.