Dentro das ações de enfrentamento ao coronavírus e reativação gradual da atividade econômica em Umuarama, o prefeito Celso Pozzobom recebeu na tarde desta terça-feira representantes dos setores da indústria e comércio de materiais de construção, ferragens e correlatos para uma reunião no Anfiteatro Haruyo Setogutte.

Para o prefeito, a atividade econômica deve ser retomada aos poucos para não comprometer a prevenção realizada até agora. “Estamos pautando nossas decisões nas orientações dos especialistas, do ministério e da Secretaria da Saúde. Também queremos retomar produção, o comércio, e fazer a economia girar. Mas não podemos liberar tudo de uma vez e pôr a perder os bons resultados que conseguimos com a quarentena iniciada na última semana, antes do prazo de 14 dias”, explicou.

De acordo com Pozzobom, a curva contaminação do coronavírus em Umuarama está dentro do esperado. “Não tem como escapar dessa pandemia. Os casos vão surgir, à medida que conseguirmos aumentar o número de exames. Com esse isolamento de 14 dias conseguimos conter o vírus e controlar o aumento dos positivados”, disse.

As notificações estão crescendo, mas numa velocidade que o nosso sistema de saúde ainda suporta. “Agora, mais do que nunca, é necessário manter os cuidados principalmente com a volta à atividade em alguns setores, pois aumentará a circulação de pessoas. Vamos reativando a economia gradativamente, mas se for necessário podemos ter de parar tudo novamente”, alertou.

O prefeito lembrou que, com a edição de um novo decreto nesta quarta-feira, a construção estará liberada a partir da quinta-feira, 2, com critérios de prevenção ao contágio dentro das obras e empresas do setor. Na próxima segunda-feira, 6, dependendo da evolução dos casos e do comportamento da população, o município pretende liberar o funcionamento – dentro de critérios definidos em decreto – do comércio de materiais de construção e setores coligados, e também da indústria moveleira e afins, “mas tudo com o devido cuidado e o compromisso dos empresários com as medidas preventivas individuais e coletivas”, reforçou.

Pozzobom lembrou que a Secretaria de Saúde está se estruturando para atender um aumento no número de pacientes infectados, mas a estrutura existente hoje ainda é insuficiente para uma grande demanda. “Temos hoje 40 leitos de UTI para atender Umuarama e região em emergências de todas as áreas. Por isso, temos de cuidar especialmente dos grupos de risco. As empresas deverão manter turnos distintos, espaço entre os trabalhadores, reforçar medidas de limpeza e higiene pessoal, ética respiratória e conscientizar seus colaboradores. Os idosos, gestantes e doentes crônicos deverão ficar em casa”, completou o prefeito.

Conforme o último boletim da Secretaria Municipal de Saúde, Umuarama tinha nesta terça-feira 41 casos suspeitos (cinco dos quais em internamento hospitalar), 35 casos descartados e dois pacientes positivados para coronavírus, em um total de 78 notificações.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo impróprio ou ilegal, denuncie.