Um crime brutal que chocou os moradores da Capital da Amizade e também todo o Brasil está prestes a ser julgado neste mês. A vítima foi a menina Tábata Rosa de apenas seis anos, ela foi raptada, estuprada e morta pelo pedófilo Eduardo Leonildo.

O corpo da criança foi encontrado na noite do dia 27 de setembro de 2017, quando o criminoso foi preso e apontou o local onde havia ocultado o cadáver, na área rural de Umuarama, Noroeste do Parná. O corpo foi encontrado em uma cova rasa, com os pés e as mãos amarradas. Tábata foi enterrada de ponta cabeça.

Leonildo raptou a criança no caminho da escola, no Parque Daniele, próximo a residência da família. Câmeras de segurança flagraram a ação.

O pedófilo já havia cometido outros crimes da mesma natureza, antes de atacar Tábata. Logo após ser preso em Umuarama, populares se concentraram em frente a delegacia da cidade. Revoltados e com criminosos infiltrados entre a população de bem, depredaram o prédio da delegacia e atearam fogo em vários veículos que estava no local. O Umuarama News teve dois veículos consumidos pelo fogo.

Com a confusão que durou mais de quatro horas, os presos iniciaram uma rebelião e destrupiram a cadeia.

Forças policiais trabalharam incessantemente até conter os detentos e a população. No local, ficou um rastro de destruição, ‘uma praça de guerra’.

Devido ao grande tumulto que ocorreu com a prisão de Leonildo em Umuarama, o julgamento será na cidade de Cascavel.

Outra garota, 9 anos, também reconheceu Leonildo como o homem que tentou estuprá-la cerca de nove dias antes da morte de Tábata. Ele nega este crime.

Fernanda Crespilho, mãe de Tábata, disse ao Umuarama News que se prepara para o dia em que vai ficar cara a cara com o assassino de sua filha. ‘Eu espero justiça’;

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo impróprio ou ilegal, denuncie.