A Polícia Civil do Paraná (PCPR) prendeu, nesta quinta-feira (30/7), quatro pessoas suspeitas de se passar por diretores e funcionários do Hospital Evangélico, em Londrina, no Norte do Estado. Os indivíduos estariam fraudando contratos de aluguel e compra e venda de bens em nome do hospital. O prejuízo estimado é de R$ 4 milhões.

A associação criminosa tentou por diversas vezes comprar ou alugar bens em nome do hospital, dentre eles caminhões para descarte de material hospitalar infeccioso, caminhões para transporte de materiais e cestas básicas. Os indivíduos tinham sempre como pretexto o combate à Covid-19.

Os policiais civis conseguiram flagrar o exato momento em que os suspeitos estavam adquirindo dois caminhões de R$ 900 mil, através de contrato fraudulento firmado com uma empresa do estado de São Paulo. Uma arma de fogo foi apreendida.

Para aparentar legalidade nas transações, os indivíduos falsificavam toda a documentação contábil do hospital, faziam “lives” para tratar das negociações e ainda indicavam como local de entrega um galpão da Prefeitura de Londrina.

SERVIÇO

O delegado da PCPR, Emmanoel David, ficará à disposição da imprensa, às 15h, para conceder entrevistas sobre o caso, em Londrina.

A solicitação deve ser feita por meio da Assessoria de Imprensa da PCPR. Será agendado um veículo por vez.

O atendimento será realizado ao lado de fora da unidade, respeitando recomendações de prevenção ao contágio pelo novo coronavírus.

Fonte: PCPR

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo impróprio ou ilegal, denuncie.