Um policial militar, que tinha 32 anos, foi morto na noite de segunda-feira (14), em Londrina, no norte do Paraná. De acordo com a equipe que atendeu a ocorrência, ele estava de folga e foi alvo de pelo menos dez disparos.

Duas pessoas que passavam pelo local também foram atingidas pelos disparos e foram encaminhadas ao Hospital da Zona Norte. Uma das vítimas está em estado grave.

O soldado Bruno Felipe Monteiro do Prado atuava na 4ª Companhia Independente da Polícia Militar. Segundo o Comando da Polícia Militar (PM), ele ingressou na corporação em 2013 e desde então trabalhava no setor administrativo da Companhia.

Prado era filho de um sargento policial aposentado e, conforme a polícia, conversou com o pai minutos antes de ser morto. Na ligação, o pai não notou nenhum problema com o filho.

“Soldado Prado possuía um relacionamento amistoso e harmonioso com seus comandantes e colegas policiais. Possuía um círculo de amizades quase que essencialmente de policiais. Ele que foi covardemente assassinado na noite desta segunda-feira”, informou o tenente Emerson Castro.

Como ocorreu o caso

Policial militar foi morto com vários tiros, na noite de segunda-feira (13), em Londrina — Foto: Eduardo Lhamas/RPC

De acordo com a polícia, imagens de câmeras de segurança registraram dois carros seguindo o soldado.

“Eles esperaram o soldado chegar em um local pouco movimentado para realizar os tiros. Não tratamos o caso como vingança”, pontuou o tenente Emerson Castro.

A PM afirma que os tiros foram feitos por pessoas que estavam em um veículo prata. Esse automóvel foi encontrado incendiado horas depois em uma estrada rural na saída de Londrina para Ibiporã.

A Polícia Militar informou ainda que um Gol deu apoio para os autores dos disparos . Esse veículo não foi encontrado.

Ainda não há informações sobre a motivação dos disparos. A Polícia Civil está investigando o caso.

A Polícia Militar pede ajuda da população para identificar os autores dos crimes. Denúncias podem ser feitas pelo 181.

Carro utilizado pelos autores dos disparos contra soldado da Polícia Militar — Foto: Eduardo Lhamas/RPC

Nota da PM

 

“A 4ª Companhia Independente da Polícia Militar está trabalhando em conjunto com o 5° Batalhão da Polícia Militar, Guarda Municipal e Polícia Civil para prender os criminosos.

Este é um trabalho essencialmente de inteligência, que será desenvolvido pelo sistema de informações destes órgãos para identificação, localização e prisões dos envolvidos.

Paralelamente às buscas das informações, está sendo realizado o trabalho normal de atendimento de ocorrências e patrulhamento, com a saturação e concentração de viaturas ostensivas nos bairros.

Contamos com a ajuda de todos, cidadãos de bem e policiais militares da ativa e veteranos. As informações podem ser encaminhadas via 181″, diz a nota.

Fonte: G1

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo impróprio ou ilegal, denuncie.