Uma mulher levou o corpo de um idoso morto a uma agência bancária em Campinas (SP) para fazer prova de vida. O caso ocorreu em 2 de outubro e segundo o laudo da perícia, o homem, de 92 anos de idade, já estava morto 12 horas antes de a mulher tê-lo levado ao banco.

A mulher, de 58 anos, teria levado o corpo em uma cadeira de rodas, com o objetivo de sacar dinheiro da aposentadoria do homem, de quem ela dizia ser companheira.

Na agência, a mulher teria pedido ajuda ao gerente para chamar uma ambulância e atender o idoso, que, segundo ela, estaria passando mal. No entanto, o médico suspeitou da situação, pois os pés do aposentado estavam inchados naquele momento.

O caso está sendo investigado pela Polícia Civil, que intimou a mulher a prestar depoimento nesta sexta-feira (16/10). Caso seja comprovado que ela levou o idoso ao banco já em condição de óbito, responderá por estelionato.

O idoso era escrivão aposentado da Polícia Civil de Campinas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo impróprio ou ilegal, denuncie.