O empresário Paulo Cupertino Matias, acusado de matar o ator Rafael Miguel e os pais dele, fez um documento falso no interior do Paraná, segundo informações repassadas pela Polícia Civil nesta segunda-feira (26/10). As informações são do G1.

O crime aconteceu em junho de 2019, na Zona Sul de São Paulo. Paulo Cupertino é acusado de atirar 13 vezes em Rafael Miguel e em seus pais, o casal João Alcisio Miguel, de 52 anos, e Miriam Selma Miguel, de 50. Ele não aceitava o relacionamento da filha com Rafael Miguel.

Em julho deste ano, Paulo Cupertino entrou na lista dos criminosos mais procurados pela polícia de SP.

A Polícia Civil do Paraná informou que as investigações apontaram que o suspeito fez uma identidade falsa em Jataizinho, no norte do Paraná. Paulo Cupertino continua foragido.

A polícia acredita que o criminoso tenha apresentado uma certidão de nascimento falsa a um funcionário público da Prefeitura de Jataizinho com o intuito de solicitar um novo documento tipo RG.

O servidor foi ouvido pela Polícia Civil nesta segunda-feira. No depoimento, o homem disse não se lembrar de quando fez a identidade e que não sabia do caso.

Além disso, a Polícia Civil informou que solicitou ao Instituto de Identificação do Paraná a documentação apresentada para o requerimento da identidade para cancelá-la.

Reprodução G1

O G1 tenta contato com a defesa do acusado.

O caso

Rafael Miguel interpretou o personagem Paçoca em “Chiquititas” (novela do SBT) e atuou em folhetins da Globo como “Pé na Jaca”, “Cama de Gato” e o especial de fim de ano “O Natal do Menino Imperador”.

De acordo com as investigações, Paulo Cupertino atirou 13 vezes contra o ator, de 22 anos, e os pais dele, João Alcisio Miguel, de 52 anos, e Miriam Selma Miguel, de 50.

O ator e seus pais estavam desarmados e não tiveram tempo de reagir quando foram baleados por Paulo.

Câmeras de segurança registraram o momento do crime. As imagens mostram o ator e seus pais sendo atingidos por disparos. Na sequência, o empresário aparece correndo.

Dois amigos de Paulo foram acusados de ajudar na fuga, dando dinheiro, transporte e até comida para o empresário, conforme a polícia.

Os três se tornaram réus no caso em junho de 2020. Paulo Cupertino é acusado de triplo homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e recurso que impossibilitou a defesa das vítimas. Já os amigos do empresário respondem por favorecimento pessoal.

A polícia já verificou quase 300 endereços em dez estados do Brasil e no Paraguai e Argentina sobre os possíveis paradeiros do acusado.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo impróprio ou ilegal, denuncie.