A Secretaria Municipal de Saúde, por meio da Coordenadoria de Vigilância em Saúde (Covisa) e da equipe de Vigilância Ambiental, vem realizando uma série de ações preventivas e de orientação contra a dengue. Após a virada do ano epidemiológico, no final de julho deste ano, Umuarama já vem registrando alguns casos positivos da doença. Conforme o último boletim semanal, a cidade contava com 323 notificações de suspeitas de dengue e 38 casos positivos.

As ações foram iniciadas em 27 de outubro e continuam até 3 de dezembro, porém a orientação da Saúde é que a população mantenha a atenção nos quintais e em suas residências, eliminando recipientes e embalagens que possam acumular água, mantendo as calhas desobstruídas, cobrindo vasilhames e tonéis e colocando areia nos pratinhos de plantas, entre outros cuidados.

Nos dias 19 e 26 deste mês e em 3 de dezembro, a partir das 9h, haverá ‘lives’ da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) para profissionais que atuam em urgência e emergência sobre diagnóstico e manejo clínico ao paciente com dengue no canal da secretaria no YouTube (www.youtube.com/channel/UC_LPgAsILSo1864i7ozMfDQ). Outros treinamentos online como esse já foram realizados desde o início das ações, além de monitoramento com drone para combate à dengue em escolas estaduais e municipais e em telhados e quintais da região central, entre a Praça Santos Dumont e o Camelódromo.

Houve ainda orientações e prevenção à dengue no cemitério (período de finados), no Centro de Referência Materno e Infantil, nas praças Santos Dumont e Miguel Rossafa e no Ambulatório de Covid-19. Palestras presenciais sobre dengue que seriam realizadas com os médicos Celso Gomes e Ricardo Perci acabaram canceladas, como medida preventiva ao coronavírus.

“O enfrentamento à dengue deve fazer parte da nossa rotina. O cuidado com a casa, com o quintal eliminar possíveis criadouros e combater o mosquitos são atitudes que, que ainda não fazem parte do nosso dia a dia, devem ser incorporados o quanto antes para evitarmos que Umuarama enfrente novamente uma epidemia de dengue”, solicitou a secretária municipal de Saúde, Cecília Cividini. As ações envolvem técnicos em Vigilância Ambiental, agentes de combate a endemias (ACEs), equipe de Educação em Saúde, profissionais médicos e a Sesa.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo impróprio ou ilegal, denuncie.