A ex-miss e digital influencer Lauren Adana, condenada pelo crime de extorsão após forjar o próprio sequestro em 2010, em Renascença, no sudoeste do Paraná, deixou a cadeia, no final da tarde de segunda-feira (11), um dia depois da prisão, segundo o Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR).

O tribunal informou que a prisão foi determinada porque a condenação de seis anos de reclusão é definitiva. Contudo, agora, a pena será cumprida em regime aberto e sem monitoramento eletrônico.

O alvará de soltura foi expedido pela Vara de Execuções Penais de Francisco Beltrão, no sudoeste do estado.

De acordo com o TJ-PR, Lauren Adana passa para o regime aberto uma vez que a delegacia não e local adequado para cumprimento de pena em regime semiaberto e não há vagas em unidades femininas no estado do Paraná.

Postagem após soltura 

Em uma rede social, Lauren publicou um vídeo dizendo que ficou surpresa com a repercussão, pois o caso é antigo e público. Ela está grávida de nove meses de uma menina.

“Passamos [Lauren e a bebê] o dia na delegacia, fomos super bem tratadas, os policiais nos trataram com muito carinho. Quando erramos, temos sim que pagar pelos nossos erros. Mas, não temos que pagar por erros que não cometemos”, disse em um trecho da publicação.

Lauren negou que tenha tentado tirar dinheiro da mãe e afirmou que tudo será esclarecido pelos advogados dela.

O mandado de prisão foi cumprido na casa da condenada, na manhã de segunda-feira, em Santana de Parnaíba, ainda conforme a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP-SP).

Lauren é ex-miss Renascença e Paraná World Popularidade, de 2012/2013.

O G1 entrou em contato com o advogado de Lauren e aguarda retorno.

Pena por extorsão

Conforme a decisão da Justiça, Lauren pode sair de casa para trabalhar, estudar, visitar familiares ou frequentar cultos religiosos de segunda a sexta-feira, das 6h às 22h. Aos sábados, domingos e feriados ela pode sair de casa das 6h às 18h.

De acordo com a sentença, nos horários de livre circulação, a modelo pode se deslocar em todo Brasil, mas terá de retornar diariamente para passar a noite em casa no horário restrito.

Caso Lauren não cumpra com as determinações, conforme o TJ-PR, os benefícios serão revogados.

Falso sequestro

Conforme a sentença, Lauren Adana armou o próprio sequestro com a ajuda de dois amigos e do namorado da época, em 18 de abril de 2010.

De acordo com o processo, Lauren foi para a casa de uma amiga para fingir que tinha sido sequestrada. Essa amiga ligou para a mãe da modelo pedindo R$ 1 mil, depois, namorado exigiu R$ 100 mil para liberar a falsa refém.

Após receber os telefonemas, a mãe de Lauren, Vanessa Dallagnol Bassani, chamou a Polícia Civil.

Durante as negociações, o namorado da modelo disse para Vanessa tirar a polícia do caso ou mataria a filha dela, conforme o processo.

Segundo o documento, devido à proporção do caso, os envolvidos ficaram com medo de serem descobertos e abortaram o plano.

Com isso, Lauren saiu do apartamento da amiga dela e ligou para a mãe de um orelhão, pedindo que a buscasse.

Os demais envolvidos também foram condenados pelo crime, conforme o TJ-PR. A amiga de Lauren cumpre a pena por extorquir dinheiro em regime semiaberto. O amigo está sendo procurado, e o ex-namorado morreu.

Divulgação: G1 PR

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo impróprio ou ilegal, denuncie.