A Prefeitura de Umuarama precisou bloquear o trânsito na Avenida Presidente Castelo Branco, nesta terça-feira, 12, para iniciar obras de ampliação e reforço na drenagem pluvial e eliminar um dos mais antigos pontos de alagamento da cidade, um problema recorrente em períodos de chuva forte. Motoristas que cruzam a região central devem procurar rotas alternativas para desviar da avenida, entre o final da Parigot de Souza/ Flórida até a rua Maranhão (sentido Jardim Panorama). Nos próximos dias, o bloqueio será estendido até a Rua Piauí.

A obra faz parte de contrato que prevê o investimento de R$ 3 milhões no recapeamento de vias importantes da cidade, além de melhorias no sistema de drenagem pluvial em alguns pontos. Na Castelo Branco, o alagamento é problema sério há muitos anos. “O aumento da impermeabilização do solo urbano e a falta de planejamento no passado criou um ponto que recebe a água das chuvas de uma grande área da cidade, sem as condições adequadas de escoamento. O resultado disso é um ‘rio’ correndo sobre o asfalto nos dias chuvosos”, lembrou o prefeito Celso Pozzobom.

O município vem ampliando redes de galerias pluviais desde 2017, com obras em vários pontos da cidade. “Agora é o momento da Castelo Branco, na entrada do Bosque dos Xetá. Construímos um grande canal aberto de drenagem dentro da mata, eliminando a erosão e com capacidade para conduzir as águas pluviais de praticamente toda a região central. Uma rede tripla com tubos de um metro de diâmetro já foi implantada entre a Castelo Branco e o canal do bosque e agora vamos implantar a rede dupla para depois recapear a avenida”, acrescentou o prefeito.

Serão cerca de 400 metros de rede dupla sob a pista da avenida, além de ramais nas ruas Maranhão e Piauí e travessas cruzando o canteiro central para captar águas pluviais também no outro lado da avenida (sentido centro). O diretor de Obras da Prefeitura, Renato Caobianco, estima que serão necessários no mínimo 15 dias para a conclusão do serviço. “Neste período contamos com a compreensão dos motoristas e sugerimos que se evite transitar por aquela região”, disse.

A alternativa para quem precisa seguir em direção ao Jardim Panorama ou à Avenida Tiradentes é desviar pela Rua Bahia ou pela Avenida São Paulo. Para acessar a pista sentido centro da Castelo Branco, no trecho interditado, os motoristas devem seguir pela Bahia e utilizar as vias transversais (avenidas Apucarana ou pernambuco e ruas Maranhão, Piauí).

O secretário municipal de Obras, Planejamento Urbano, Projetos Técnicos e Habitação, Isamu Oshima, acrescentou que os recursos para o recapeamento e as galerias – R$ 3.029.361,84 – são provenientes do governo do Estado, a fundo perdido, e que a empresa Sotran Construções e Terraplenagem foi contratada para a execução, com prazo até novembro deste ano.

Serão 51.462,79 m² de recape contemplando a Avenida Dr. Ângelo Moreira da Fonseca – entre as avenidas Rondônia e Padre José Germano Neto Júnior (Pronto Atendimento 24h); a Avenida Padre José Germano Neto Júnior – entre a Praça Tamoio e a Rua Walter Kreiser (proximidades da Guarda Municipal); a Avenida Presidente Castelo Branco – da Praça Santos Dumont até a Avenida Tiradentes (bancos, comércio e uma lateral do Bosque dos Xetá); e a Rua Irati, entre a Rua Tomás Gonzaga e a Av. Rio Grande do Norte.

O secretário Isamu estima que as obras sejam executadas num período menor que o previsto no contrato, caso não haja imprevistos. “As obras podem gerar transtornos temporários, pois terão impacto no tráfego de veículos no período de execução. Mas vamos tomar os cuidados, sinalizar os locais e direcionar o fluxo para rotas alternativas. No final, a cidade vai ganhar vias bem sinalizadas, seguras e confortáveis para os usuários”, apontou.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo impróprio ou ilegal, denuncie.