Uma adolescente, de 16 anos, morreu após sofrer uma grave hemorragia dentro de um motel, na Rodovia Dep. João Lepoldo Jacomel, em Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba. Ela teria ido ao local de carro com um homem, de 29 anos, no início da tarde desta quarta-feira (20).

A mãe da vítima, Ana Paula Zimiani, conta que o rapaz já vinha cortejando a menina desde a semana passada, mas que a família não aprovava a relação por conta da diferença de idade. “Semana passada ela comentou comigo que ele tava chamando ela no ‘Face’, que queria conversar com ela, tentando agradar, queria conhecer ela, namorar e eu falei pra ela que não queria, porque ele é mais velho. Ele foi no curso dela e levou um chocolate pra ela. Desde o fim de semana ele estava insistindo para sair com ela”, relatou a mãe.

Foto: Eliandro Santana/Banda B

Nesta quarta-feira, a menina teria pedido autorização à mãe para ir ao shopping com o homem, apenas para comer batata e ver um filme, e depois ele traria ela de volta para casa. A mãe permitiu o encontro.

“Ele passou em casa, pegou ela às 13h, quando deu 14h e pouco recebi a notícia de que ela tinha tido um desmaio e estava na UPA Pinhais. O médico me disse que ela já chegou sem pulso, tentaram massagem cardíaca para fazer ela voltar, mas sem sucesso”, afirma Ana Paula.

Tentativa de fuga

No momento em que a mãe foi informada que a filha estava morta, o rapaz de 29 anos teria tentado fugir, mas foi impedido por Ana Paula. “Eu agarrei ele pelos braços e disse pra ele me explicar o que tinha feito com ela. Acabou o mundo pra nós, a gente morreu junto com ela. Ele matou ela e a família inteira”, disse a mãe da adolescente.

Foto: Eliandro Santana/Banda B

A avó da garota, Maria Antônia, disse que a neta era saudável e espera que o homem pague pelo o que fez. “Esse cara tem que pagar. Ela era uma menina querida, boa, saudável, ela não tinha problema, então alguma coisa ele fez”, disse indignada.

O homem de 29 anos está detido na Delegacia de Pinhais. Ele teria passagens por tentativa de homicídio, receptação e roubo. A Polícia Civil investigará o que aconteceu dentro do motel que levou a menina a sofrer uma hemorragia.

Homem alega que tentou socorrer a adolecente

Para o advogado de defesa, o rapaz contou que a hemorragia na adolescente começou logo após a relação sexual. “Ele e a adolescente foram até o motel, lá tiveram relações e, logo em seguida, essa adolescente começou a sangrar, não sabendo a razão. Ele ficou bastante preocupado, chamou as pessoas do estabelecimento, depois ligou para a Polícia Militar por meio do 190, foi atendido, mas enquanto as viaturas se deslocavam não quis esperar, estava muito preocupado, então a levou para a UPA de Pinhais. Lá, ele não tinha respostas dos médicos, resolveu buscar a mãe da adolescente e na volta receberam a informação de que a garota já estava sem vida. Até então não há nenhum ato criminoso por parte do Lucas”, descreveu, em entrevista à Banda B.

No Boletim de Ocorrência (BO) da Polícia Militar (PM), o rapaz, no entanto, diz que o sangramento da adolescente aconteceu durante a relação sexual. No documento oficial, há informação de que a garota era virgem.

Igor Ogar afirma que o rapaz já tem antecedentes com a Justiça, no entanto nenhum parecido com a situação recente. “Ele é uma pessoa que tem antecedentes, mas nenhum com práticas nesse sentido, se manifesta em ajudar a investigação e está colaborando com todas as diligências que estão sendo ditas”, acredita o advogado.

Perícia

O carro do rapaz está apreendido para perícias do Instituto de Criminalística. Ele também esteve com a médica do Instituto Médico Legal (IML) para algumas apurações quanto aos detalhes do que aconteceu no motel. Haverá exames toxicológicos para apontar se o casal consumiu drogas. “O Lucas afirma categoricamente que não utilizou nenhum tipo de droga, assim como a adolescente”, defende Igor Ogar.

Reprodução Facebook

Suspeito na morte de adolescente em motel deixa a prisão

Lucas deixou a prisão na tarde desta quarta-feira (20), deixou a prisão. Ele nega as acusações de que teria sido responsável pela morte da garota.

Em entrevista à Banda B, na tarde desta quinta-feira (21), o suspeito disse que não esperava pelo o que aconteceu naquela tarde. “Eu sai com ela, tudo certinho, e poucos instantes depois que chegamos no motel aconteceu esse fato. Foi um acontecido que ninguém esperava, uma hora ou outra podia acontecer, mas isso aí é caso de natureza mesmo. Não dei drogas pra ela, não dei nada, não bati, não estuprei, nada, então é coisa de quando é pra acontecer mesmo”, se defendeu Lucas.

Ele chegou a ser detido na Delegacia de Pinhais, mas foi liberado após depoimento. Segundo o advogado de defesa Igor Ogar, Lucas não colaborou para a morte de Lívia. “Ele já está em liberdade, pois conseguimos convencer a autoridade policial do fato de que o mesmo em nada colaborou na morte dessa adolescente. Muito menos tenha cometido qualquer atitude sobre algum aspecto penal, criminal ou até imoral”, afirmou o advogado.

Ainda de acordo com a defesa, há informações preliminares e não-oficiais de que o corpo da adolescente não possui marcas de qualquer tipo de violência, física ou sexual.

As autoridades policiais aguardam o resultado de exames complementares. “O próximo passo é aguardar novas informações de exames complementares solicitados pela autoridade policial e recebidos pelo Instituto de Criminalística. Eles vão apurar se existiu ou não o consumo de alguma substância entorpecente, bem como as condições físicas do suspeito”, completou Ogar.

De acordo com Lucas, a hemorragia na adolescente começou logo após a relação sexual. Ela foi levada por ele até a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Pinhais e morreu pouco tempo depois. A causa da morte está sendo investigada.

Fonte: Banda B

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo impróprio ou ilegal, denuncie.