estimem que essa possibilidade seja a menos provável, “isso requer mais investigações, provavelmente com novas missões com especialistas, o que estou disposto a implantar”, assegurou.

Na apresentação oficial do relatório conjunto dos especialistas da OMS e de cientistas chineses sobre a origem do vírus, o chefe da instituição disse que a investigação permitiu avançar no conhecimento “de forma importante”, mas que gerou “outras questões que precisam de outros estudos”.

O informe, ao qual a AFP teve acesso na segunda-feira, considerava que era “extremamente improvável” que o coronavírus se deva a um acidente, ou a um vazamento de patógenos de um laboratório.

Nesta terça, porém, o doutor Tedros pediu una investigação mais profunda desta hipótese com “especialistas”. O chefe da OMS disse ainda que a equipe internacional de especialistas sinalizou ter tido “dificuldades” para “ter acesso aos dados originais”, durante a estada na China. “Espero que novos estudos colaborativos estejam baseados em compartilhar os dados de uma forma mais ampla e rápida”, acrescentou.

Correio do Povo

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo impróprio ou ilegal, denuncie.